quinta-feira, 6 de agosto de 2020

Do luto à luta



Quando li essa frase pela primeira vez ela me pareceu um tanto cruel apesar de realista.

Mas hoje a vejo com outro olhar.

E senti isso na pele quando perdi meus pais.

A dor era tão lancinante que a vontade que eu tinha era apenas de ficar na cama o dia todo, chorando em posição fetal. Porém, enquanto eu vivia meu luto, eu tinha filhos pedindo ajuda pra tarefa, tinha arte do cliente para entregar, tinha a fatura do cartão vencendo e a vida acontecendo em minha volta. Então o que você faz? Você acorda chorando, mas limpa o rosto porque deu a hora de levar o filho no inglês. Você sai pra ir em uma reunião de trabalho, passa na frente daquela padaria onde tomava café com a pessoa que partiu, e seu coração se aperta, mas logo você chegou no seu compromisso e precisa desviar o pensamento.

A roda da vida realmente não para de girar enquanto vivemos nossas dores. Você chora por muito tempo todos os dias em algum momento, mas você também sorri com uma mensagem carinhosa que recebe, com um beijo do filho...você tem diariamente mil lembranças ativadas, que se misturam com a louça na pia, com o auxilio na redação da catequese e com todos os afazeres que não cessam. 

E quer saber? Que bom que é assim. Pois se fosse de outro modo, nos afundaríamos na dor. Porém a vida, sábia como ela só, nos mostra todos os dias, que precisamos estar em pé, que o luto precisa ser vivido sim, porém o que ele não pode nunca é nos paralisar.

sexta-feira, 24 de julho de 2020

A mãe que eu não quero ser




Recebi essa imagem recentemente e o texto contido nela me lembrou de um episódio que vivi.
Estava num consultório pediátrico esperando para ser atendida, e uma mãe ao meu lado com 2 filhos gêmeos que não deviam ter mais de 5 anos, irritava-se a todo momento com a impaciência dos meninos que queriam brincar. Ela os obrigava a sentarem e a ficarem quietos a todo momento. E eu vendo tudo, apenas pensava com meus botões: se é um saco para os adultos esperarem sentados quietos, quem dirá para uma criança cheia de energia... Por que ela nãos os deixa simplesmente livres para brincarem enquanto o tempo não passa? Mas é muio mais fácil apontar o erro do outro quando estamos olhando a situação como expectador. 
Então me lembrei das tantas vezes que eu  tive a mesma atitude.
Quantas vezes fui impaciente, cobrando das minhas crianças atitudes de adulto, tolhendo-lhes a vivacidade, repreendendo-lhes por coisas que fugiam da sua compreensão...e naquele momento decidi que eu não queria mais, em momento algum, ser a mãe que rouba-lhes momentos preciosos da infância. Afinal, há um mundo inteirinho esperando por nossas crianças para ser magicamente descoberto e explorado, e tantas vezes em nossa pressa e impaciência de adultos, tentamos mesmo que sem perceber, tornar esse percurso completamente chato. Que brinquem, que corram, que cantem, que se divirtam-se, e que possamos aprender com esses pequenos sábios, como fazer cada dia valer a pena.

quarta-feira, 22 de julho de 2020

Um post para lembrar...

Esse post é só para lembrar, a você que é mãe, da tua força, mesmo quando ela ás vezes parece falhar.


Da sua capacidade de continuar produzindo, mesmo com as horas privadas de sono, com o cansaço acumulado dos dias, das dores nos braços que embalam.

Esse post é para que você não esqueça, o quanto é corajosa por ter se aberto a uma nova vida, mesmo tendo sido a sua totalmente transformada.


O quanto essa decisão tornou potente a sua capacidade de amar, de renunciar, de abdicar e de se doar.


Esse post é para te lembrar que uma mãe é capaz de mover montanhas, de alterar leis, de chegar onde ninguém chega, apenas com a força do amor que a move. 


Cinthia Moralles 

quinta-feira, 16 de julho de 2020

Quando perdi meus pais...

Perder meu pai doeu muito. Perder meu pai e minha mãe em um período tão curto de tempo foi devastador.
Pai e mãe são raizes, são origem, é carne da mesma carne, sangue do mesmo sangue.
Eu sei e agradeço por ser amada por tanta gente.
Mas aquele amor incondicional e sem limites, aquela preocupação que não finda, aquele apoio em qquer circunstância é só pai e mãe que proporciona.
E eu me sinto sem um pedaço depois que eles se foram. Eu me sinto meio sem rumo nesse mundo.
Tento evocar as lembranças que tenho deles para tapar o buraco das que não existirão mais.
Todo momento de felicidade terá sempre uma fatia da falta deles, é um luto que não finda.
Alguns dias doerão muito, outros menos, mas sempre vai doer.
Porém, preciso seguir. A vida não para e esse é o ciclo natural.
Encontro forças no muito que eles deixaram e que guardo dentro de mim.
Eles vivem nas lembranças que ficaram, no amor que me dedicaram e nos exemplos nos quais me espelho.
Eles vivem nos cheiros, nas músicas e nas comidas que gostavam e que tantas vezes partilhamos. Eles vivem nas frases que ouvia deles e hj repito para os meus filhos. Vivem nesse legado lindo que deixaram e que nem a morte pode me roubar. Que honra ser a primogênita de vcs, meus amados pais, e mto obrigada por terem marcado lindamente a minha existência!

segunda-feira, 13 de julho de 2020

Como fazer camiseta Tie Dye

Aprenda como fazer uma camiseta Tie Dye e arrasar por aí com esse visual colorido, divertido e descolado.

Nesse tutorial, a Letícia e sua amiga Júlia, ensinam o passo a passo.

Compramos as camisetas na Hering e os materiais na papelaria Fradelli.

Quem fizer me marca no instagram do @blogmaenual para eu repostar.









quarta-feira, 8 de julho de 2020

Pais: A mulher que sua filha vai ser depende de você




 Sempre que eu os vejo juntos eu faço um agradecimento silencioso pelo pai que escolhi para a minha filha.
Ele a ouve, respeita, ensina, e mostra com gestos, ações e palavras todo o amor que sente por ela.
Ela por sua vez, retribui com toda sua meiguice e encantamento de quem descobriu no pai um alicerce de proteção, segurança e amor.
Quanto mais um pai demonstra seu afeto por uma filha, mais segura emocionalmente ela se tornará.
A ausência de afeto da figura masculina, é capaz de gerar futuramente buracos e desiquilíbrios que afetará toda a trajetória da mulher que nossas filhas irão se tornar.
O modo como o pai trata sua filha vai ajudá-la a definir os comportamentos que considerará aceitáveis (ou não) em seus próprios parceiros românticos. 
Sendo assim, uma menina que cresceu recebendo do pai um amor pleno, dificilmente aceitará em seu futuro um relacionamento abusivo ou alguém que a desvalorize.
Portanto, a semente plantada hoje nessa relação de “pai e filha”, será decisiva para que o caminho  traçado por ela seja florido ou espinhoso.

sexta-feira, 3 de julho de 2020

Retrato de um quarentena


Essa foto meio embolada, sem enquadramento e produção zero, é um retrato perfeito de tantos dias da nossa quarentena.
Eu já trabalhava praticamente apenas home office então isso não foi nenhuma grande mudança pra mim, a novidade veio por conta da companhia full time das crianças, que sem ir para a escola, passam todo o tempo disponível desse jeito aí: literalmente grudados aonde quer que eu esteja.
Sendo totalmente verdadeira, confesso que frequentemente sinto falta do silêncio e da paz para o trabalho, uma falta que por vezes assemelhou-se a uma sensação de sufocamento e irritação. Mas hoje, quando os vi assim decidi ressignificar esses sentimentos. Projetei a vida para um futuro não tão distante, com eles crescidos, onde a minha companhia não será tão solicitada. E percebi que a vida é feita de ciclos e preciso aproveitar esse momento onde ainda sou tão necessária aos olhos deles, onde me abraçam pelas pernas e cinturas e ali querem ficar. Tudo passa, novas fases virão, os interesses mudarão e chegará o tempo que outras companhias serão prioridade para eles. Porém, se o hoje for vivido e aceito em sua plenitude, terei a serenidade necessária para entender e acolher os ciclos inevitáveis das estações da vida.

quarta-feira, 1 de julho de 2020

Live: O uso da Máscara nas crianças

Estamos todos nos adaptando com o “novo normal”, e ainda existem muitas dúvidas sobre o uso da máscara nas crianças. ⁣⁣ Para sanar todas elas, convidei a pediatra Jheth Mundim para uma live nesta sexta(03) no instagram do blog, (@blogmaenual) onde vamos responder todas as perguntas sobre o tema! ⁣⁣ ⁣⁣ Já coloca o alarme para não esquecer!!! ⁣Espero vocês!

terça-feira, 30 de junho de 2020

Precisamos falar sobre aulas on line

Eu não sei como esse novo formato de aulas está sendo pra vocês, mas por aqui está bem difícil.⁣ ⁣ Letícia fica das 13 às 18hs na frente do computador diariamente assistindo as aulas, reclama de dor de cabeça, dores nas costas, muitos dias chora e me pergunta qdo voltará as aulas presenciais. Confesso que me sinto totalmente impotente de não ter uma resposta pra ela, e percebo o quanto esse processo está sendo desgastante para todos.⁣ ⁣ Arthur tem um horário bem mais reduzido, as aulas on line dele são 3x por semana, 50⁣ minutos, uma carga mais tranquila, porém nele percebi um desinteresse pelos estudos e ele sempre foi dos mais interessados.⁣ ⁣ Entendo que a escola está usando das ferramentas possíveis e tentando achar o melhor formato.⁣ ⁣ Porém, o que percebi pelo menos para as minhas crianças, é que eles precisam da “presença”, precisam de um papel ativo e não apenas de passividade para terem seu rendimento pleno.⁣ ⁣ Imagino que algumas crianças se adaptam melhores que outras, mas aqui foi nítida a queda no rendimento ⁣ ⁣ Talvez seja a hora de revermos. O conteúdo escolar vamos ter ao longo da vida. O que estamos vivendo hoje é uma situação única. Podermos trabalhar solidariedade, respeito, cuidado com o outro. Conteúdos tão importantes neste momento.⁣ ⁣ Obrigatoriamente será preciso recuperar. Não vamos sair iguais desse processo, precisamos estar preparados para lutos e perdas.⁣

domingo, 28 de junho de 2020

De volta às raízes...

Voltei pra cá. Na verdade nunca parti de verdade, só fui por ali fazer novos vôos, pousar em outros ninhos, mas aqui foi e sempre será meu começo, minha raíz.
Assim como as estações representada no novo layout, a maternidade também é cíclica e cheia de fases. 
Conforme as crianças foram crescendo a Cinthia mulher também foi se mesclando cada vez mais com a Cinthia mãe.
E é tudo isso que quero abordar nessa nova etapa do blog: os desafios das novas fases da maternidade e também a mulher em busca de constante evolução que habita em mim.
Para quem já era de casa, bem-vindos de volta, para quem está chegando agora sinta-se em casa. Tem chá quentinho no bule, bolo no fogão e muita alegria de ter vocês por aqui novamente. 

Disqus for maenual




eXTReMe Tracker