sábado, 21 de maio de 2016

O Google não tem filhos!




Recentemente quando eu participava de uma mesa redonda sobre maternidade uma das perguntas que recebi foi: Qual conselho você daria para uma futura mãe?
E para responder relembrei das minhas próprias angústias desse período pós parto, principalmente das milhares de dúvidas que me assolavam sobre os cuidados com o bebê e outras questões.
A globalização e a quantidade de informações nessas horas podem se tornar tanto a salvação como a vilã de uma mãe. Portanto, foi só depois de me encontrar diversas vezes perdidas buscando respostas em milhares de sites, onde cada um apresentava uma resposta diferente, enfim entendi, que ás vezes é preciso abandonar todas as teorias, palpites e teses.
Eu vou responder novamente como respondi na mesa redonda para as mães que me ouviam: O Google não tem filhos. Então quando tudo parecer um caos e você se sentir perdida sem saber por qual estrada trilhar, simplesmente, pare, respire, conecte-se com o seu bebê,  ative sua  intuição e simplesmente siga o que o seu coração de mãe estiver dizendo. 
Acredite, ele nunca erra.

 

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Sobre ser Mãe...


Lembro como se fosse hoje uma conversa com uma amiga na adolescência em que sonhávamos com o futuro e ela discursava animada sobre a carreira brilhante que pretendia construir. Até que em um certo momento ela me perguntou: E vc? O que deseja ser? Eu sem pestanejar respondi: Desejo ser MÃE. A maternidade sempre me rondou , seja na menina que fui e embalava docemente sua boneca, ou na adolescente que já projetava esse sonho para o futuro e enfim, na mulher que deu a luz e reforçou a certeza que ser mãe, é sem dúvida o meu papel preferido nessa vida. É a minha parte mais bonita. É a luz que ilumina mesmo os dias mais escuros. 
É o amor que me move, emociona e transforma! ❤️

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Palestra: Relacionamento, família e filhos! Workshop Feminino

Olá Amores!

Recebi com muita alegria o convite para palestrar no Workshop Feminino que ocorrerá neste sábado (21), idealizado e organizado pela super competente psícológa e coach de vida e profissional Janaina Barbosa Nemoto. O objetivo do Workshop é proporcionar conhecimento para o público feminino e o tema que irei tratar é: Relacionamento, família e filhos! As vagas para esse já estão esgotadas mas em breve haverá outras edições e aviso com antecedência para vocês. Muito obrigada Jana pelo convite e iniciativa, tenho certeza que é só o começo de um caminho de sucesso!


Programação:

14:00 Abertura do Evento
14:15 Oficina de Dança do Ventre com Ana Aysha
14:40 Palestra sobre Educação Alimentar com Andréia Masulo
15:10 Palestra sobre Gestão do Tempo com Janaína Barbosa
15:40 Palestra sobre Orientação Profissional com Renata Cox
16:10 Palestra sobre Relacionamento, Família e Filhos com Cinthia Domingos Moralles
16:40 Lançamento do Livro "21 anos de Ansiedade" com Ana Laura Posselt
17:10 Fechamento com apresentação de Dança do Ventre

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Exposição “África Animais Selvagens” começa neste sábado, no Bosque dos Ipês


Olá Amores!
Fim de semana chegando e já começamos a pensar nas programações para fazer com os pequenos. Hoje vou deixar uma super dica de uma atração infantil que estréia no Shopping Bosque dos Ipês neste sábado (14). Confiram: 
Exposição “África Animais Selvagens” 
Os principais animais da Selva Africana chegam ao Shopping Bosque dos Ipês, a partir deste sábado, 14 de maio. Gratuita, a Exposição “África – Animais Selvagens”, traz réplicas animatronics de 14 espécies, que impressionam pelo tamanho e pelos detalhes.
 A Exposição traz Crocodilo, o maior réptil da natureza, Elefante, o maior mamífero terrestre, Girafa, Guepardo, Gorila, Hipopótamo, Javali Africano, Leopardo, Rinoceronte, Suricato, Zebra, Pinguins Africanos e, claro, os lendários Leão e King Kong. Além das réplicas, cada animal traz, também, uma apresentação com suas principais características, tornando o evento ainda mais educativo.
Dentre os detalhes que surpreendem na Exposição, estão os tamanhos de algumas réplicas, como o Elefante, com mais de dois metros de altura e, a Girafa e o Gorila, ambos com aproximadamente quatro metros. O evento, que já percorreu alguns Estados do país, promete encantar adultos e crianças.

Aventura na África
Para quem gosta de aventura de verdade a Exposição tem, ainda, arvorismo, parede de escalada e tirolesa, com bilheteria. Para as brincadeiras, a idade mínima é de 03 anos e o peso máximo, 100 quilos.
Serviço
A Exposição “África Animais Selvagens” começa neste sábado, dia 14 de maio. A visitação é aberta, também, para excursões escolares. O horário de funcionamento é de segunda à sábado, das 10h às 22h e aos domingos e feriados, das 11h às 21h.
O Shopping Bosque dos Ipês fica na Av. Consul Assaf Trad, 4796 - Bairro Novos Estados.



quarta-feira, 11 de maio de 2016

Meu filho NÃOOO come!

Bom dia Amores!

O tema do post de hoje foi sugerido por uma leitora mas tenho certeza que muitas mães se identificam com ele e também sofrem na hora dos refeições dos filhos, que fazem cara feia para comida ou possuem resistência em experimentar novos alimentos.
Para ajudar essas mães convidei a nutricionista e amiga pessoal Daniele Leite, que escreveu um texto super completo e repleto de dicas incríveis e práticas para acabar com o strress na hora das refeições.

Confiram:


Meu filho NÃOOO come!





Se não comer tudo, não vai brincar! Olha que delícia ... por favor, come só um pedacinho! Se você comer mais uma colherada, te dou um docinho! Por aí vão os argumentos para que nossos pequenos comam a todo custo... e mesmo assim... Nada! Entramos em desespero e depois rola uma briguinha, uma chantagem e ás vezes até umas palmadas. Calma mamães, tudo não passa de uma fase na vida dos nossos filhos.
Nós mães e cuidadores ficamos enlouquecidos e fazemos de tudo para as crianças comerem. Nos dias de hoje a obesidade infantil está em alta, mas, realmente o que mais preocupa é a criança que não come!
Algumas crianças são seletivas pra comer, não querem experimentar novos alimentos e a cada refeição, o choro e gritos são cada vez maiores entre as famílias. Obrigar o filho a comer e insistir não é correto. Compreendo perfeitamente o desespero dessas mães, afinal uma boa alimentação resulta numa criança saudável. Mas, não é por pular uma refeição ou outra que os filhos ficarão desnutridos ou terão o desenvolvimento comprometido. A falta de apetite pode ocorrer por diversos motivos, principalmente de duas formas: a orgânica e a comportamental.
A falta de apetite orgânica ocasionam apatia, palidez, fraqueza, sonolência, pele seca, cabelos finos e quebradiços, rachaduras nos cantos da boca e sangramento nas gengivas e ocorre porque a criança tem alguma doença infecciosa ou está com carência de nutrientes, como vitaminas e minerais. Se a criança vive deitada e fraca pra brincar a solução é levá-la ao pediatra e a um nutricionista para que, com o acompanhamento profissional conjunto, o problema seja solucionado. A falta de vontade de comer não é “frescura”, é real essa ausência de vontade.
A criança deixa de comer simplesmente porque quer chamar a atenção dos pais, porque quer estar mais tempo com eles, porque sabe que naquele momento eles estarão ali, mesmo que por pequenos minutos. Então, a criança tenta prolongar através de manhas e birras, para tê- los mais tempo por perto, e, muitas vezes acabam ganhando! Ganham também algum alimento de fácil aceitação, como uma bolacha recheada, mesmo estando no horário de uma refeição principal, como o almoço ou o jantar. Ao perceber que essa tática dá certo, a criança repete a atitude constantemente. Essa é a falta de apetite comportamental.
Vários são os motivos do desinteresse pelos alimentos: o início da dentição, a criança agitada que dispersa facilmente, a anorexia fisiológica, televisão, tablets, conversas e músicas altas, resultam no desinteresse pelos alimentos. O ditado que diz: a hora da refeição é uma hora sagrada... é verdade! Mantenha o ambiente calmo, sente-se à mesa e até coloque música calma para melhorar o apetite.
Na fase de 2 a 5 anos as crianças são muito ativas e precisam de calorias a mais do que uma com sete anos, porém elas não param para comer, o que
torna normal a redução do apetite. Há mães que, de tão preocupadas, oferecem suplementos nutricionais sem orientação. Podendo estar contribuindo para a formação de um adulto obeso.
A recusa do alimento e a seletividade alimentar costuma aparecer por volta dos 2 anos de idade, a criança tem preguiça de mastigar, não quer experimentar novos alimentos, apenas gosta de comer alimentos hipercalóricos (vulgo baboseiras) e produtos à base de leite. Até 1 aninho comem “super bem”, experimentam de tudo, e, logo tudo se transforma. O cuidador da criança deve sempre comer junto e mostrar seu prato pra criança com alimentos nutritivos, e, mesmo se a criança rejeitar, é necessário apresentar de 8 a 10 vezes o mesmo alimento para ela, em vários dias alternados.
Vocês não devem desistir nas primeiras tentativas, e reapresentar aquele alimento muitas outras vezes. Não disfarçar os ingredientes de recusa, pois a criança deve saber o que está comendo, aprendendo a identificar texturas e sabores. Muitas vezes, a simples troca de tempero pode ser um estímulo a comer. A criança pode, ainda, ser chamada para participar da elaboração do cardápio familiar, seleção e preparo de alimentos, com a família e a nutricionista.
Essas recomendações nutricionais abaixo irão te ajudar a conduzir melhor a alimentação, manter-se mais calma e sanar algumas das suas dúvidas:

• Nunca ofereça muita comida à criança - ela tem o estômago pequeno, utilize pratos pequenos e quantidades pequenas. Quando uma criança olha grande quantidade de comida em seu prato já desiste de comer. Deixe ela servir o pratinho dela, mesmo que derrame;

• Varie os alimentos. A mesma comida, todos os dias, não desperta o interesse. Incremente o prato com algum alimento de cor diferente mesmo que ela não coma, deixe o prato colorido, alegando que ela possa comer apenas o que gosta. Mas, que você gostaria que ela experimentasse todos. Caso ela peça pra tirar o alimento não desejado, coloque em um pires pequeno ao lado do prato dela, mas tire da frente dela;

• Não ofereça mamadeira e nem outro tipo de alimento, como bolachas e pães, se ela não almoçou ou jantou e reapresente o prato daqui meia hora, mesmo que ela não coma. Ela precisa entender que aquele horário é de comida. Após a segunda tentativa, se houver rejeição, aí sim pode desprezar no lixo a comida, e, oferecer outros alimentos nutritivos;

• Mantenha verduras e legumes em todas as refeições. Mesmo que a criança não aceite, não a obrigue a comer, assim ela ficará com raiva do ingrediente. Deixe lá ao lado dela, a constante presença desses alimentos, despertará a curiosidade da criança. É muito importante é que veja constantemente esses alimentos que não gosta;

• Respeite os gostos de seu filho, pode ser que ele realmente não goste de determinada comida e, mesmo que comia anteriormente, porque nos primeiros anos de vida, a criança já tem preferências e aversões alimentares
gradativamente. Às vezes, por não gostar de um ou de outro ingrediente, ela rejeita toda a refeição, separe o que ele não gosta, mas, não tire da frente dele;

• A partir de 6 meses inicia-se a introdução alimentar (que falaremos em outro post futuramente) e, a partir de 9 meses, o bebê já deve consumir toda a alimentação da família, com os mesmos temperos naturais usados em casa e pouco sal;

• Deixe o bebê e crianças maiores comerem com as mãos, elas se divertem manipulando os alimentos, adoram, e, comem melhor. Forre toalhas de plástico embaixo do cadeirão de papinha ou simule o picnic no chão. Saia da rotina com seu filho, almocem embaixo da mesa, jantem embaixo da escada, lanchem no jardim e na garagem e leve os alimentos crus (arroz, feijão, macarrão) para simulação de cozinhar de mentira. Pegue utensílios da sua cozinha mesmo e deixe a imaginação fluir;

• Faça uma horta, mesmo em vasos, mexa na terra, lambuze as mãos com as crianças, isso é maravilhoso para elas, elas podem sim, cuidar com você, e assim gradativamente despertar a vontade em experimentar novos alimentos;

• Não dê água, sucos e refrigerantes durante a refeição, porque a capacidade gástrica da criança ainda é limitada. Se ela tomar um desses líquidos pode não ter espaço para a comida, ofereça líquidos 30 minutos após as refeições;

 Evite que a criança fique "beliscando" entre uma refeição e outra. Não ofereça comida fora de hora. A criança que passa o dia inteiro comendo dispensa as refeições principais pelo simples fato de não estar com fome, ofereça alimentos nutritivos de 3/3 horas;


 Recorte vários tipos de alimentos nas revistas, cole em um papel e dê à criança para que leve na feira ou mercado, façam os te ajudar nas compras, mesmo que escolhendo errado, estimule!



• Nos intervalos das principais refeições ofereça fruta cortadinhas em palitos de dente, faça churrasquinho de frutas coloridas e coloque nas lancheiras da escola também. (Outro post sobre lancheiras em breve kkk)


 Determine os horários das mamadeiras com eles, se a criança mama demais, cole um papel na parede e faça eles desenharem a mamadeira com você toda vez que tomarem uma, ao fim do dia haverá muitas mamadas e visualizando o errado fica mais fácil de diminuir.


 Procure na internet receitas para crianças e coloque elas pra cozinhar com vocês, com certeza ficarão com vontade de experimentar.


 Quando buscar as crianças na escola, leve uma fruta e castanhas para eles comerem, normalmente saem com fome e aceitam experimentar (mesmo que apenas uma vez) o alimento que que não estão acostumados a comer.

• Nunca prometa uma recompensa, como por exemplo, "coma o arroz que eu lhe dou um sorvete". Assim você fará com que seu filho tenha desprezo pela comida. Não se apavore ele vai se alimentar na próxima refeição, não crie expectativas em cima dele, as vezes a quantidade que ele come não é a que você queria, mas ele está comendo, mesmo que seja pouco;

• Não adianta pedir para seu filho comer cenoura se você está comendo um sanduíche ou pizza, ele naturalmente irá querer comer o seu lanche, poisna cabeça da criança, se você despreza a cenoura, é porque o outro alimento deve ser mais gostoso;

• Não ofereça doces. Evite comprar, não tenha em casa, doe as lembrancinhas de aniversário, afinal, seus filhos comerão o que você comprar, porque criança não tem cartão de crédito. O doce está relacionado ao prazer e carinho em nossa cultura, e não devemos usá-lo como trocas na hora da refeição, evite doces porque o açúcar é maléfico e um grande vilão, ele causa dependência e obesidade infantil. Em breve faremos outro post sobre o açúcar e como evitar).

Por fim, seja firme com a criança, sem ser rígida e sem brigas, afinal o momento de se alimentar deve ser prazeroso e não angustiante. Fiquem tranquilas, essa fase vai passar, é uma fase transitória, e, fiquem atentas para não demonstrarem suas angústias, frustrações quando eles comem pouco. Aos longos dos anos, a criança aprende que poderá obter o que deseja, se não consumir o que lhe for oferecido durante a refeição. Deixar a criança sem comer, e pensar, que, quando a fome apertar, a criança vai comer, não é um caminho aconselhado.
Deixe a irritabilidade e expectativa de lado, redobre a paciência e use a criatividade em suas refeições, lembre-se que a hora da refeição é uma hora sagrada e de união da família.




Nutricionista Daniele Leite.
Especialista em gerência de unidade de alimentação e nutrição, pós graduanda em nutrição materno infantil. Atendimento em domicílio. Consultora e treinamento para babás e secretárias do lar

sábado, 7 de maio de 2016

Surpresa de Dia das Mães- Laboratório Bioclinico!

Bom Dia Amores!

Hoje o post é em agradecimento ao Laboratório Bioclinico e a agência Contexto Midia que realizaram uma ação maravilhosa para  o dia das mães.
Eles gravaram vídeos com depoimentos de filhos e sem que as mães soubessem e quando aparecemos por lá para coletar ou pegar resultados de exames, nos deparamos com essa surpresa linda.
 Imaginem minha alegria e emoção ao chegar lá sem saber de nada e me deparar com um vídeo lindo dos meus pequenos falando de momentos que passamos juntos e do amor deles por mim.? Muito obrigada mesmo por nos fazerem sentir tão especiais e amadas.
Segue o vídeo pra vocês conferirem:




sexta-feira, 6 de maio de 2016

Meu primeiro dia das mães sem Maria!

Bom Dia amores!

O Dia das mães se aproxima e hoje quero dividir um post comovente escrito por uma grande amiga, que perdeu sua mãe neste ano e escreveu um lindo texto contando um pouco como tudo aconteceu e seus sentimentos em passar o primeiro dia das mães sem a pessoa mais importante da sua vida.
Fica também a reflexão para aproveitarmos cada segundo ao lado de quem amamos.
Muito obrigada Mari por compartilhar sua linda história de amor!

"Eu não imaginei que aquele dia 3 de Dezembro de 2015, mudaria tanto a minha vida...
Tudo amanheceu normal em casa, o barulho do fogão acendendo para esquentar a água do café... até que minha mãe me chamou e disse:
- Mariana, vem cá. Eu estou tonta.
Pulei da cama e fui para a cozinha.
Percebi que ela estava com a percepção espaço-temporal alterada.
Liguei para minha irmã e fomos para o hospital. Um dia todo internada e nenhuma alteração no exame de sangue ou na tomografia. Um remédio receitado e o diagnóstico de um AVCIT - Acidente Vascular Cerebral Isquêmico Transitório.
Passado o susto, a vida seguiu normalmente, marcamos o geriatra para ela, as idas ao mercado sozinha continuaram de forma tranquila...
Até que no domingo, dia 20 de Dezembro, assistimos a final do mundial de futebol e repetiu-se todo o ocorrido do dia 3...
Minha irmã estava viajando, chamei o SAMU e ela foi levada para o hospital, mais um dia inteiro e o mesmo diagnóstico: AVCIT.
Na manhã de segunda, fomos ao cardiologista; bateria de exames, arritmia e muitas alterações nos resultados; ela foi internada dia 23 de Dezembro.
Começou aí o pior Natal da minha vida...
Na tarde do dia 24, minhas tias, amigas e primas, nos visitaram, levaram até rabanada para a gente. Era o máximo de proximidade do Natal que teríamos.
Logo minha mãe que adorava essa data e fazia a rabanada mais gostosa do planeta...
Na noite do dia 24, enquanto a maioria das famílias, inclusive a nossa, se reuniam para celebrar o nascimento de Jesus, eu e minha mãe estávamos na sala de espera para que ela fizesse uma ressonância magnética cerebral.
Só eu sei a solidão e o frio daquela sala enquanto o exame era feito, ninguém poderá sentir por mim o que esse Natal significou.
No dia 26, o médico me chamou no corredor, veio a bomba... o resultado da ressonância apontou múltiplos nódulos sugestivos de metástase.
Sim. Câncer.
Entrei no quarto e ela me perguntou:
- eu vou ficar boa?
Eu tremia como nunca havia acontecido na minha vida, apenas respondi:
- sim mãe, só apareceram algumas sequelas reversíveis do avc.
Entrei no quarto ao lado, que estava vazio, comecei a passar mal, um buraco se abriu debaixo dos meus pés...
Minha irmã chegou e iniciamos uma busca louca para tentar algum tratamento.
No dia 30 de Dezembro, veio a suspeita de que o tumor primário era no seio, nesse dia, ela soube apenas que tinha um caroço e provavelmente precisaria ser operada. Sentamos as três na sala e ela disse que não queria ninguém preocupado e que se algo acontecesse, ela queria ser cremada.
Passamos o réveillon juntas, minha mãe nunca se abalava diante de obstáculos, só achou que seria um início de ano complicado. Eu tive medo... eu estava certa.
Dia 7 de Janeiro, ela passou mal novamente, foi internada e as informações vieram como uma avalanche.
Câncer, tumor de mama confirmado, paralisia do lado esquerdo, movimento involuntário do lado direito, exames diários, trocas incontáveis de fraldas, pneumonia, anemia, choque... moramos mais de um mês no hospital.
E a pior constatação: câncer em estado terminal.

Meus amigos organizaram uma campanha para arrecadação de fraldas, foram mais de 70 pacotes; a equipe de basquete (esporte que ela amava) do Bauru e o ator Emílio Dantas, gravaram vídeo desejando muita força para ela. Foi uma forma que encontrei de fazê-la se sentir querida e amada. Os olhinhos dela brilhavam assistindo.
Tive que tomar decisões horríveis com a minha irmã; decidimos não submete-lá a radioterapia, decidimos não contar nada abertamente, em algum momento ela desconfiou, mas nós jamais daríamos certeza.
Eu não sabia mais o que pedir para Deus, fiz tantas promessas, mas sentia minha mãe cada dia mais distante, mais abatida...
Até que no dia 13 de Fevereiro, não teve jeito e ela se foi, abraçada comigo... enquanto os batimentos cardíacos baixavam de 130 para 48, eu a abracei e agradeci por tudo, pedi perdão por não ter contado toda a verdade para ela... disse que não saberia o que fazer para amenizar a falta que sentiríamos uma da outra. Desejei paz e ao olhar para ela, uma lágrima escorreu por seu rosto.
Nessa hora a equipe médica já estava no quarto, minha irmã chegou, ela deu o último suspiro.
Mais que a minha mãe, eu perdi uma grande amiga, uma parceira, sabe?
Perdi aquela que me amava incondicionalmente, que pagava o preço comigo, que deixava sempre o último pedaço de chocolate para mim.
Desfazer o quarto dela em casa, foi a parte mais dolorosa desse processo. 
Ela era espetacular, uma avó sensacional para o meu sobrinho; a cada visita dele, ela acordava absurdamente bem. Enquanto eu ainda conseguia ser objetiva com Deus, eu pedia para que ela ficasse tempo suficiente para que o Arthur lembrasse dela, talvez aí esteja uma das minhas maiores dores, daqui a algum tempo ela será só uma lembrança na fotografia.
Minha mãe me ensinou sobre amor de forma simples, além do "eu te amo" trocado constantemente, todo mesversário, ela me parabenizava, me levava café na cama de manhã e me enchia de beijos, sempre acenava para mim da varanda... me abençoando.
Eu morri um pouco com ela, a vida perdeu um tanto do seu brilho, preciso me esforçar de forma surreal para levantar todo dia e trabalhar, choro todos os dias, nunca mais dormi uma noite completa; mesmo com remédios. 
Esse é o meu primeiro dia das mães sem aquela pessoa que transbordava amor e fé, sem a certeza de um porto seguro para voltar todas as vezes que a vida me desse uma rasteira, de colo para chorar por qualquer frustração.
Abandono e desamparo definem bem. Fiquei com a sensação de que não posso mais errar em nada.
E aquele velho clichê: aproveite aqueles que você ama enquanto eles estão aqui, passa a fazer todo sentido.
E eu espero um dia, ser metade do que ela foi como mãe, se eu conseguir isso, talvez eu volte a ser feliz. "

-- 
Mariana M. de Moura Oliveira
Psicóloga esportiva e clínica
(61) 9548-1001

CRP 01/14263 


quarta-feira, 4 de maio de 2016

Saudade Antecipada!

Desde que o facebook começou a mostrar lembranças de postagens antigas, sinto um aperto no peito cada vez que me deparo com uma foto das crianças menores. Todos os dias engulo uma pequena dose de nostalgia acompanhada da minha impotência em não poder impedir que eles cresçam tão rápido.
Mas bem lá no fundo eu sei, que o que sinto na verdade, é uma saudade antecipada. Saudade desse tempo que estou vivendo em que tenho eles tão disponíveis e plenos pra mim.
Tenho consciência que em nenhuma outra fase, a figura da mãe é tão essencial quanto na infância. Nunca seremos tão incansavelmente amados por eles como agora, simplesmente porque assim é o ciclo da vida. O tempo passa e os leva para novos vôos, descobertas e possibilidades. Nós continuaremos aqui sempre disponíveis, porém nosso beijo que curava qualquer coisa não será mais suficiente quando eles aparecerem com o coração quebrado. Nosso colo será cada vez menos solicitado, os veremos encantados por pessoas diversas que chegarão, e vamos sempre nos lembrar com um sorriso no rosto e o peito rasgando de saudade dessa fase tão linda da vida, em que nada nem ninguém tinha forças suficientes para abalar esse elo tão profundo, mágico e visceral onde éramos o ninho em que eles encontravam a paz e o lugar seguro para onde sempre voltavam.


segunda-feira, 2 de maio de 2016

Mães na Moda Shopping Campo Grande!

Olá Amores!

Está chegando uma das datas mais lindas do ano, o Dia das Mães e para homenagear aquela pessoa que dedica sua vida aos filhos, o Shopping Campo Grande realiza um evento todinho dedicado a elas, o Mães na Moda, que acontece entre os dias 04 e 08 de maio. 
 Moda, beleza, empreendedorismo, decoração e bate-papo com mulheres de sucesso integram a programação, que inicia com uma palestra exclusiva da jornalista, empresária, consultora e ícone de moda e etiqueta no Brasil, Glória Kalil, às 19h do dia 04.
No dia 07/05, às 16h,  estarei participando de uma mesa redonda abordando diversos assuntos relacionados a maternidade, juntamente com as mamães bloggers Nina (Mãelabaristas) e Débora ( A Mãe coruja). Vocês estão convidadíssimas, vou adorar a presença de todas!
Confiram a programação completa do evento:




quinta-feira, 28 de abril de 2016

Contação de História Green: A Felicidade tem cor!

Bom Dia Amores!

Neste sábado (30) a loja Green promove mais uma edição do seu novo vídeo: A Felicidade tem cor!
 O livro conta a história do pequeno Benjamin, um menino que certa vez acorda e se depara com um mundo todo em preto e branco, deixando-o, ainda que não tenha plena consciência, entediado e desiludido com a vida. Sem ver graça no seu dia a dia, está sempre achando que algo está faltando. Até que uma amiga, que tem a sensibilidade de enxergar as pequenas coisas da vida de forma encantadora, leva Benjamin a sentir o gosto colorido da felicidade.

O evento acontece em dois horários: 9:30 e 16 hs, com pipoca algodão doce, e um livrinho de presente para as crianças que estiverem presentes!

A Leticia e o Arthur amam as contações da Green, nós não vamos perder e vocês?



Disqus for maenual




eXTReMe Tracker